Skip to content

Pós-verdade

Março 8, 2017

PictureNick Dong, Retirado de ICA San Jose Institute of Contemporary Art

Não tenho a certeza donde surgiu a expressão pós-verdade, mas o que parece plausível concluir é que ela implica um determinado grau de transparência anterior. Esta pressuposta transparência é em si mesmo um efeito da dita pós-verdade na medida em que esta é falsa. Um regime pós qualquer coisa – tal como pós-modernidade – estabelece uma relação de superação com o substantivo. A superação da modernidade contida na ideia de pós-modernidade, do comunismo na noção de pós-comunismo, e assim sucessivamente. Pós-verdade assume a superação de uma época em que a verdade fosse o seu elemento estruturante. Essa época nunca aconteceu. Por isso de onde retira a sua autoridade a expressão pós-verdade?

A pós-verdade começou com o advento da publicidade. Melhor, intensificou-se, visto que sempre houve formações ideológicas devedoras dessa mesma lógica. Mas a publicidade é o ápice da pós-verdade. A publicidade transforma o exercício da verdade e do contraditório numa mascarada. Nada na publicidade é verdade, e no entanto tudo deve ser assumido como sendo. Se alguma coisa, a linguagem política foi aprofundando a mesma mecânica da publicidade. Foi-lhe copiando os meios e os tiques. E assim se chega a Trump, por exemplo. Mas este não é o advento da pós-verdade, nem sequer a sua expressão mais acabada. É apenas uma das suas instâncias mais perigosas.

Agora bem, vivemos imersos na linguagem publicitária. De tal forma que dificilmente distinguimos o que é afectividade gerada pela publicidade do que é afectividade real, ou seja, afectividade que não seja mediada por imagens carregadas de estímulos hedonistas. A forma como nos ligamos aos objectos não pode mais ser pensada sem a constante presença da publicidade, e os quadros cognitivos que a formatam têm vindo gradualmente a ser aplicados nas pessoas.  Viveríamos, por conseguinte, imersos em pós-verdade, caso tivéssemos alguns vez vivido imersos em verdade. Dos tempos do cristianismo onde o Verbo era a verdade, passou-se rapidamente para a imposição do verbo como verdade. E nesse sentido a nossa relação com a verdade sempre foi traumática, ou seja, revivida entre o desejo e o pesadelo.

Em suma, a expressão pós-verdade é inconsequente. Não apenas a verdade nunca surgiu na sua inteireza como sempre teve sujeita a regimes determinados (pace Foucault). Coisas como a identidade entre objectividade e neutralidade, cara à ciência moderna, são já elas próprias emanações da pós-verdade, porque pressupõem a impossibilidade da descoincidência entre protocolos e objectos – a subjectivação dos argumentos e conclusões.

Na realidade, a actual retórica da pós-verdade tem por implicação a perniciosa noção de que há uma forma objectiva de a ela chegar. É precisamente neste sentido que ela é um exercício retórico, assente na capacidade de nos persuadirem que a comunicação pode ser um meio sem filtros, de objectividade inatacável, basta para isso seguir os protocolos comportamentais adequados. Portanto, é uma defesa da classe jornalística, de comunicadores, que na senda da sua própria unção pretendem convencer-nos que através dela a verdade é-nos devolvida pura, cristalina, inatacável. Os defeitos passam a ser extraídos de uma avaliação, de uma qualificação, do trabalho de comunicação: o mau trabalho distorce a verdade. Como se esta estivesse ali, pronta a ser contemplada, na medida necessária do bom uso dos instrumentos que a captam. Termo conveniente, a pós-verdade. Conveniente porque abafa a terrível constatação de que a verdade é construída. E nunca é demais gritá-lo: se a mentira é assumidamente construída, sublinhe-se que a verdade também o é!

Anúncios
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: