O país TVI

Estranho é que a dramatização oposta pela dramatis personae Cavaco Silva não suscite comentários depreciativos, do mesmo estilo daqueles que soaram pela comunicação social e sobretudo pela blogosfera quando Sócrates foi vender computadores Magalhães para a cimeira Europa – Latino-américa. Ontem não pude deixar de notar que Cavaco foi para a Madeira investido do seu novo estatuto de promotor de time-sharing. É que para além de tecer loas ao trabalho levado a cabo pelo governo regional, certificou ainda os camones de que a zona hoteleira encontrava-se intocada pela calamidade (que só o é nos jornais, porque na realidade do discurso político, não se trata de uma calamidade: um ventito que se abateu sobre o jardim do atlântico, portanto).

É bom sabermos que o presidente de todos os portugueses possui qualidades insuspeitas e inexploradas. Vender o turismo da Madeira – “isto aqui é uma maravilha; quando eu puder venho para cá com a minha Maria”, etc (não disse, mas foi como se o tivesse dito) – apaziguando as ânsias do potencial turista da velha Albion, é atitude que eu espero do presidente da República; principalmente quando este, abrindo a boca, é geralmente claro e sucinto. Por exemplo, a sua mensagem de esperança foi literalmente “uma mensagem de esperança”, ou seja, “quero deixar uma mensagem de esperança”. A esperança afinal é a esperança, e não há mais nada a dizer, porra.

Cavaco vai somar votos com isto? Claro que sim. Soma e segue. Aqueles anúncios da TVI e da SIC espalhados pelas estações de metro e autocarro a imitar as séries norte-americanas… e até conseguem fazê-lo: o apuro imagético começa a ser cultivado em terras lusas. Depois, vai-se ver o produto na íntegra e a fogachada com que ele era apresentado é tudo a fingir. Os actores são pateticamente cabotinos, a fotografia é uma tristeza, os diálogos são ridículos, o argumento dá dó… Assim é Portugal. Afinal temos mais afinidades com a TVI do que aquelas com que somos bombardeados diariamente.  

2 pensamentos sobre “O país TVI

  1. Vim aqui parar por intermédio de um teu leitor assíduo e que eu gosto muito de ler também, o Natcho.
    Em boa hora o fiz, pois os três posts que li, me fazem passar a seguir-te com todo o gosto.
    Particularmente neste post, pois refere algo parecido com a minha última postagem.
    Abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s