Skip to content

Uma Lança em África…outra onde a quiserem meter

Junho 20, 2008

 

 

Primeiro foi o choque. Gradualmente fui reavendo a consciência. Palpei os membros – as pernas, com os dedos ainda trémulos, pareciam reganhar a consistência de outrora; os braços, momentaneamente flácidos e enfraquecidos, recuperaram a solidez dos instrumentos de trabalhar a terra. Li de novo. Não me tinha enganado: a Drª Lança andava a googlar “Anal Sex in Africa” como termo de pesquisa. Fiquei contente. Porque há maneiras piores de passar o tempo; olhem como por exemplo, andar à machadada no Zimbabué ou cozer arroz podre  num campo de refugiados do Darfur. E depois, parece que há muito,  anal sex in Africa quero dizer, mas com certeza também arroz podre no Darfur. A julgar pelas cifras, o referido tema devolve 671.000 entradas! 671.000 entradas anais em África, é obra.

O tema sempre me fascinou, embora nunca tivesse tomado coragem para dar o passo essencial, aquele que abriria os enigmas das luras negras africanas. Ainda no outro dia googlei “Zoofilia in New Zealand” e devo dizer que as entradas no google nem sequer se abeiram ao número galáctico que a Drª Lança encontrou. Embora apareçam casos extraordinários, como “Fellatio with tamanduás” ou o mais arriscado, mas quiçá aliciante, “Dating the tasmannian devil ”, confesso que não chega a ser o suficiente para passar “umas horas divertidas” como foi o caso com a Drª Lança.

E as possibilidades são imensas. Porque não acertamos logo à partida nos artigos de teor científico, pergunto-me quanto anal sex in Africa teve a Drª Lança que desbravar antes de chegar ao miolo, quer dizer, ao números, quer dizer, às estatísticas. De entrada, dei logo com um exemplo de correcção e boas maneiras: only like big black cock. O que significa que não só o mensageiro não é racista, como pratica a positive discrimination. Depois fiquei a saber – mesmo que isso não me tivesse espantado -, que anal sex in Africa é doloroso. E nem é que anal sex in Europa não seja (experimentem googlar a expressão…), mas parece que, a fazer jus na antropometria, há diferenças, em média, que são iniludíveis. Isto está biologicamente provado, por isso escusam de vir para cá com os vossos maus fígados caucasóides.

E será por causa disso que a Drª Lança remata o seu texto dando umas dicas sobre sexo oral. Eu sempre achei que aquelas raparigas, a penarem nos corredores do porno, para chegarem a serem um dia grandes artistas, eu sei lá, conseguirem entrar numa peça do La Féria, que deviam passar mal, muito mal. Não me admirei portanto que houvesse uma associação (estatística?) entre o sexo oral e o cancro da garganta. Elas, coitaditas, às vezes bem as vejo a engasgarem-se, e não são raras as vezes que repito para a minha companheira: aquilo ou é laringite ou cancro na garganta! E elas lá estão, quase a sufocarem, a gemerem, a esfalvarem-se, numa agonia atroz, que só consigo esquecer depois de me terem feito sexo oral. Bem sei, soa a egoísmo puro, falta de solidariedade com o sofrimento alheio, mas já vem dos tempos dos faraós, quando representavam falos erectos perto das bocas das súbditas – e não me venham dizer que era por desconhecerem a perspectiva.

E nesta perspectiva fiquei assustado com o temível aviso final da Drª Lança: a recusa de tratamento a obesos e fumadores. Ora se uma pessoa (mulher ou homem, não interessa nada, como diria Teresa Guilherme) aparece com um cancro na garganta e ouve um médico dizer: “você vem aqui mamar aos serviços de saúde? Não andasse a mamar onde não devia!”, é caso para se instalar o pânico nas hostes desportivas. Diz draconianamente a Drª Lança que quem se interessa por esse desporto que sofra as consequências! Nunca tinha elevado o sexo oral ao patamar desportivo; aliás sempre me pareceu que a alta competição pode trazer consequências nefastas quando se trata de sexo oral. Mas depois do desaire futebolístico, que nos restará a nós, portugueses, enquanto sonho colectivo? Sobretudo, num país em que querem todos andar a mamar.    

Anúncios
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: